Buscar
  • Equipe Sergio Schmidt Advocacia

O EXCEPCIONAL LUCRO DAS OPERADORAS DE SAÚDE EM 2020


Em um ano em que o mundo e, principalmente o Brasil, foram drasticamente afetados pela pandemia do coronavírus, com centenas de milhares de pessoas enfermas e mortas por essa terrível doença, o que poderíamos esperar dos balanços das principais operadoras de saúde era resultados, no mínimo, sofríveis.


Dentro das minhas curiosidades como advogado atuante na área empresarial, sempre “passo o olho” nos balanços publicados nos jornais e, numa dessas “olhadas”, me chamou atenção o impressionante lucro das principais empresas operadoras de saúde com atuação no país.


O que, a princípio, poderia representar ser um ano péssimo para quem administra planos de saúde, 2020 demonstrou-se um ano extremamente lucrativo para estas empresas. Vejamos a seguir um comparativo entre o lucro antes de tributação de IR e CSLL* de 2019 e 2020 (em R$ milhões), relativo as principais empresas do setor:



Em que pese o lucro seja direito e razão da existência de todas as empresas, tamanho incremento de resultado das operadoras de saúde em pleno ano de pandemia mostra-se, no mínimo, a meu entender, algo questionável.


Será que as operadoras de saúde, ao invés de mais lucro, não poderiam ter disponibilizado um melhor atendimento para seus clientes neste momento de alta complexidade para a saúde pública?


Será que as operadoras de saúde, ao invés de mais lucro, não poderiam ter compensado os profissionais de saúde, verdadeiros heróis do momento, com remunerações mais adequadas e justas?


São apenas algumas questões que merecem reflexão.



Sergio Schmidt

Advogado

Email: sergio@sergioschmidt.com






* Lucro apresentado desconsidera despesas com Imposto de Renda e Contribuição Social sobre Lucro.

** As informações foram retiradas dos balanços constantes dos sites das respectivas empresas, que são públicos.

*** Os balanços do Bradesco e Sulamérica não demonstram, em separado, os resultados de suas operação de seguro saúde.

58 visualizações0 comentário